Sobre a FPKY

A Federação Portuguesa de Kyudo – PKR é a representante do Kyudo em Portugal, sendo reconhecida pela Federação Japonesa de Kyudo (ZNKR – ANKF), pela Federação Internacional de Kyudo (IKYF) e pela Federação Europeia de Kyudo (EKF) como a entidade tutelar do Kyudo para Portugal.

Mestres da Federação

Yoshihiro Kudo (5 de Julho de 1926 -1996)

Kyoshi, 7º Dan, Mestre de Shirotsugu Yokokoji, visitou Portugal e dirigiu o 1º Seminário em Portugal em 1995.

Shirotsugu Yokokoji (25 de Junho de 1928 – 21 de Outubro de 2013)

Renshi, 5º Dan, Mestre que iniciou a prática do Kyudo em Portugal no ano de 1992, dirigiu o grupo de Kyudo em Sesimbra até 2002, data do seu retorno ao Japão.

Presidente Honorário da APK (Mei Yo Kaicho).

Maki Kudo (1 de Novembro de 1948)

Kyoshi, 7º Dan, Esposa de Mestre Yoshihiro Kudo.

Sensei Maki Kudo deslocou-se a Portugal por mais de 16 vezes, tendo visitado locais de referência da entidade nacional como sejam os Museus do Azulejo, da Fundação Oriente e o de Arte Antiga, o Convento da Arrábida, Mosteiro dos Jerónimos e o Santuário de Fátima. Realizou o primeiro tiro ritual Hikime em Portugal no Convento da Arrábida, em Junho 2008.

Vice-Presidente Honorária da APK (Mei Yo Fuku Kaicho).

Clubes e Associações

Atualmente, a Federação Portuguesa de Kyudo conta com os seguintes clubes:

  1. AKT – Associação de Kyudo Tradicional: Sediada em Sesimbra e estabelecida em 2 de Fevereiro de 2023, foi responsável pela introdução da prática de Kyudo em Portugal e pela manutenção do Dojo Yokokoji – Sesimbra. Desde Setembro 2023, desempenha também atividades em Almada, desenvolvendo assim da prática do Kyudo na Margem Sul.
  2. KYULIS – Kyudo Clube de Lisboa: Sediado em Lisboa, é responsável pelo desenvolvimento do Kyudo em Lisboa. Foi estabelecido em 2 de Fevereiro de 2023.

Pode consultar mais informações sobre os nossos clubes aqui.

Direção da Federação Portuguesa de Kyudo – PKR

Presidente – Roque Oliveira
Vice-Presidente – Luís Pereira Nunes
Tesoureiro – Pedro Garção
Secretário – Hélder Cortes
Vogal – Rafael Adão

Eleita na Assembleia Geral Eleitoral de 21 de Abril de 2023

Roque Oliveira

Presidente

Luís Nunes

Vice-Presidente

Pedro Garção

Tesoureiro

Hélder Cortes

Secretário

Rafael Adão

Vogal

Eleita na Assembleia Geral Eleitoral de 21 de Abril de 2023

Estatutos da FPKY

Estatutos da FPKY – PKR – Novos Estatutos da Federação Portuguesa de Kyudo – PKR (Tiro com arco Japonês). Alteração Integral dos Estatutos realizada pela escritura pública de 20 de Janeiro de 2021, retificada a 21 de Dezembro de 2021.

Estatutos da APK – Estatutos da Associação Portuguesa de Kyudo (Tiro com arco Japonês) que fazem parte integrante da escritura pública de 31 de Janeiro de 2001.

Constituição da APK – Diário da República Nº61, III Série, de 13 de Março de 2001 que constitui a Associação Portuguesa de Kyudo

Outros Documentos

Regras de Segurança no Dojo – Regras a observar durante a prática do Kyudo, seja em Dojo, ginásios ou ao ar livre.

Eventos

Anualmente, a Federação Portuguesa de Kyudo e os seus Clubes e Associações promovem uma série de eventos e celebrações, dos quais destacamos:

Aniversário da Associação de Kyudo Tradicional

No mês de Novembro, a AKT comemora o seu aniversário, uma data que celebra em consideração e reverência aos mestres e aos mais antigos praticantes. Rememorando o mês em que se iniciou a prática do Kyudo em Portugal, sob a direção do saudoso mestre Yokokoji no ano de 1992, o feriado Nacional Japonês de 3 de Novembro, dedicado à Cultura e às Artes, o Bunka-no-hi (文化の日), fazem coincidir a celebração com o dia 11, dia de São Martinho, o Santo patrono da AKT. Nestes encontros, para além do treino formal e das demonstrações, organiza-se um almoço convívio no Dojo Yokokoji onde se servem os frutos secos, as febras e os enchidos, as castanhas e as batatas-doces assadas, tudo acompanhado com a tradicional água-pé e o bom vinho Português. Um momento fraternal em que relembram os saudosos mestres e praticantes mais antigos, na melhor companhia dos familiares e amigos do Kyudo, e gizam os planos de trabalho e de estudos para o ano novo que se avizinha.

Encontros ao compasso das Estações

A FPKY tenta organizar encontros que celebram cada estação do ano, destacando-se:

  • Encontro de Primavera: Dadas as dificuldades que a prática do Kyudo apresenta no período de Inverno, devidas às condições climatéricas e à exigência de prática ao ar livre, a FPKY tem organizado, anualmente e no início da Primavera, um treino/seminário de fim-de-semana. Um encontro onde se procede ao arranjo dos materiais e equipamentos, em que se retoma o folgo e se elevam os espíritos próprios do Kyudo.
  • Encontro do equinócio de Outono: Pela primeira lua de Setembro, os praticantes de Kyudo em Portugal reúnem-se no Dojo da Faúlha para um treino noturno de contemplação da lua cheia, o conhecido treino Tsukimi (月見). É um encontro que se inicia com a saudação e observação do pôr-do-sol e nascer da Lua, fenómeno astrológico que nesse preciso dia atinge uma das maiores magnitudes no ano, a que se segue um treino informal, quase às escuras, com os alvos a serem iluminados exclusivamente pelo luar e por velas colocadas por detrás dos mesmos. À chegada do novo dia prepara-se o lume, confraterniza-se com chá quente e merenda as expectativas para o ciclo do Outono que se inicia.

Seminários e Workshops

Desde 1995, ano em que o Senhor Yokokoji convidou o seu mestre Yoshihiro Kudo a visitar Portugal, que a FPKY tem organizado períodos de treino intensivo com a assistência e supervisão de mestres japoneses. Denominado de Seminário, estes estágios destinam-se ao aperfeiçoamento dos praticantes. Compreendem quatro a cinco dias de treino intensivo onde são abordadas, de forma sucessiva e tão exaustiva quanto possível, aspetos relativos à arte do Kyudo, como sejam: a etiqueta, os tiros formais e rituais, a construção e reparação dos equipamentos, a manutenção e conservação dos trajes, a alimentação e o asseio, como ainda o próprio estudo dos termos e das designações próprias na língua japonesa.   

Inserido nos Seminários, os Workshops são um dia reservado aos novos praticantes. Constituem-se como aulas abertas em que os praticantes mais velhos são chamados a acompanhar aqueles que pela primeira vez se predispõem à prática do Kyudo e ao contacto direto e vivencial com as flechas e o arco Japonês.

A Federação Europeia de Kyudo e a Federação Internacional de Kyudo organizam anualmente seminários internacionais de Kyudo. Nestes encontros os praticantes têm a oportunidade de partilhar a sua experiência com membros de outras nacionalidades, de serem assistidos por credenciados mestres japoneses, bem como de realizarem os exames de graduação.

Taikai e Competições

À semelhança dos Seminários, os Taikai são também encontros de nível nacional, internacional ou mundial, promovidos pelas mesmas entidades mas, desta feita, para pôr à prova a perícia dos praticantes de Kyudo.  Em ambiente festivo, num ou em vários dias de competição, os praticantes esforçam-se por realizar os seus melhores lançamentos e aprenderem com a observação dos outros e de si próprios.

Competindo individualmente ou em grupo, nos Taikai realizam-se séries de dois ou de quatro lançamentos no intuito de apurar os atiradores mais eficientes. No caso da competição por pontos são averbado todos os lançamentos realizados, sejam eles bem e mal sucedidos, graduando-se a classificação dos concorrentes pelos valores das frações de sucesso registadas no final da prova. Na situação de competição por exclusão, ou “bota fora”, o praticante terá que acertar no alvo uma parte ou mesmo todas as suas flecha para se qualificar e passar à série seguinte, a graduação das classificações faz-se por eliminação dos concorrentes, sendo vencedor o arqueiro que conseguir realizar, de forma persistente, o maior número de lançamentos bem sucedidos.

História do Kyudo em Portugal

2011

No dias 15 e 16 de Janeiro, 7 elementos participam no Monte da Mancha – Alentejo no encontro de Inverno da APK, Praticantes e seus acompanhantes fizerem um passeio pedestre pelas terras míticas do “Endovélico”.

Em Março procedeu-se a limpezas e à plantação de rebentos de bambus e cana-da-índia no Dojo da Faúlha.

A 11 de Março o Japão é atingido por um fortíssimo tremor de terra a que se seguiu um devastador maremoto. A APK associa-se ao movimento de solidariedade para com as vítimas enviado uma doação pela ANKF.

No fim-de-semana de 2 e 3 de Abril, a APK comemorou a entrada da Primavera num encontro no Casal da Juge – Torres Novas. Em complemento dos treino foram realizadas diversas leituras e passeios pedestres, de que se destaca a visita ao Castelo e à casa Museu Carlos Reis.

Com a generosa colaboração da Câmara Municipal de Sesimbra e das empresas Cerâmica Evangelista e Filhos Lda. e Construvigo, que ofereceram respectivamente, o transporte, a argila e a areia destinadas à construção do Azuchi, conclui-se em Abril a primeira fase de construção do Dojo da Faúlha.

2010

Encontro Nacional, treino / convívio, no ginásio do IST em Lisboa no dia 31 de Janeiro.

A APK participa no I Kangeiko da Academia do Budô Makato Praiense no dia 21 de Fevereiro. Este treino intensivo de Inverno realizado na Praias do Sado em Setúbal, envolveu várias modalidades do Budo em treino conjunto e demonstrações.

No dia 21 de Março, 7 membros da APK participam na I Gala de Artes Marciais da Quinta do Conde. Uma organizada pelo Ginásio Clube Conde, Associação Portuguesa de Hapkido e Sport Lisboa e Benfica que contou com a colaboração do Wellness Sport City e da Câmara Municipal de Sesimbra.

Em Abril realizou-se em Tóquio o II Seminário/Taikai Mundial da IKYF, um evento que não contou com a presença portuguesa e que ficou marcado pelas dificuldades nos transportes aéreos criadas pela erupção do vulcão Eyjafjallajoekull na Islândia

Sob a orientação de Roque Oliveira 4º Dan, na sala Macau do Museu do Oriente em Lisboa, teve lugar no dia dia 2 de Maio uma aula de apresentação e demonstração de Kyudo . Este encontro contou com a colaboração de Luís Paixão e Luís Pereira Nunes bem como de vários praticantes, com 20 participantes inscritos na aula de iniciação assistiram à demonstração mais de 50 pessoas.

1º Taikai de 2010 no dia 22 de Maio na Quintinha – Sesimbra, contou com a participação de 5 praticantes.

De 19 a 23 de Junho realiza-se em Sesimbra o VIII Seminário de Kyudo em Portugal, sob a direcção de Mestre Maki Kudo, Kyoshi, 7º: Dan. Participam neste Seminário 9 praticantes.

Integrado no VIII Seiminário e com a presença e supervisão da mestre Maki Kudo, nos dias 25 e 26 de Junho, primeiro em Sesimbra e depois em Lisboa, realizam-se dois workshops de Kyudo com demonstrações e aulas de iniciação.

2º Taikai de 2010 da APK em Lisboa – IST a 23 de Outubro com a participação de 5 praticantes.

Pelo 18º aniversário do início da prática do Kyudo em Portugal dia 13 de Novembro e após longos anos de vicissitudes inicia-se a prática regular do Kyudo no novo dojo da Faúlha – Cotovia, Sesimbra. Esta data foi comemorada com um treino especial a que segui o tradicional Magusto.

Integrado no festival da Associação de Amizade Portugal Japão, a 14 de Novembro, Rogério Vieira de Almeida e Roque Oliveira participam no 5º Festival de Artes Marciais de Loures, com uma demonstração de Kyudo no pavilhão Paz e Amizade de Loures.

2009

A convite da NCreatures, no dia 25 de Janeiro, Roque Oliveira e Mário Chainho realizam um apresentação sobre Kyudo e o Japão no espaço FNAC do Chiado em Lisboa.

De 28 a 30 de Março Rogério Vieira de Almeida participa no Seminário extraordinário da Primavera da EKF em Louvaine – Bélgica .

Procedem-se aos trabalhos de piquetagem e de terraplanagens no Dojo da Faúlha

Em Junho realiza-se no Dojo da Quintinha o VII Seminário de Kyudo em Portugal, supervisionado pelos elementos mais graduados da APK, Rogério Vieira de Almeida 4º Dan e Roque Oliveira, 4º Dan, este seminário contou com 8 praticantes.

Em Julho é instalada a vedação na área de tiro do Dojo da Faúlha e procedem-se a várias plantações.

Rogério Vieira de Almeida participa no XXVI Seminário da EKF (European Kyudo Federation), com a direcção da ANKF (All Nipon Kyudo Federation), em Frankfurt – Alemanha, de 20 a 22 de Julho.

A APK organiza um Workshop e participa na demonstração do Festival Internacional de Artes Marciais – FIAM, promovido pela Associação de Amizade Portugal-Japão em colaboração com a Associação de Shotokai de Portugal, realizado na Arena de Évora em Évora.

Integrado no FIAM Luís Paixão participa na conferência sobre Budo no Palácio D. Manuel.

Em Setembro dá-se início à construção do Azuchi no novo Dojo da Faúlha.

Comemora-se a 15 de Novembro o Magusto com encontro de treino/convívio no Dojo da Faúlha.

2008

São retomados os treinos no Dojo da Quintinha, procedem-se a trabalhos de limpeza e conservação.

A APK participa no Festival Desportivo do Vitória de Setúbal, no dia 15 de Março.

A convite do Centro de Artes Orientais, Roque Oliveira, Luís Paixão e Carmo Ferreira participam a 4 de Maio no Festival de Artes Marciais de Grândola.

Roque Oliveira e Rogério Vieira de Almeida participam no Festival Anual de Artes Marciais Japonesas, promovido pela Associação de Amizade Portugal-Japão e com o patrocínio da Câmara Municipal de Santarém e da Fundação Passos Canavarro, no dia 17 de Maio no Pavilhão Desportivo de Santarém.

Roque Oliveira dá uma entrevista ao jornal “Sesimbrense”, publicada a 30 de Maio.

De 19 a 29 de Junho realiza-se em Sesimbra o VI Seminário de Kyudo em Portugal, sob a direcção de Mestre Maki Kudo, Kyoshi, 7º: Dan. Participam neste Seminário 9 praticantes.

Integrado no VI Seminário e no dia 21 de Junho, realizou-se no Convento da Arrábida uma conferência intitulada “O Ocidente, o Budo e as Artes Marciais” tendo como oradores: Roque Oliveira, Manuel Gualrinho, José Patrão, Luís Pereira Nunes, José Manuel Araújo e João Cruz Alves. Esta conferência foi precedida de um tiro ritual Hekime, realizado pela primeira vez em Portugal sob expressa autorização dos mestres Japoneses. A mestre Maki Kudo, trajando um rigoroso kymono tradicional, foi assistida por Rogério Vieira de Almeida no lançamento de uma única flecha.

XXV Seminário da EKF (European Kyudo Federation), com a direcção da ANKF (All Nipon Kyudo Federation), em Loughborough – Reino Unido em Julho. Rogério Vieira de Almeida participa no Seminário A e Carmo Ferreira no Seminário B.

A 23 de Novembro realiza-se na sala polivalente dos BVS a Assembleia Geral da Associação Portuguesa de Kyudo. Nesta reunião são apresentados e votados os relatórios de actividades e contas dos anos transactos, aprovado o plano para o ano seguinte e são eleitos os novos corpos sociais. Na nova Direcção da APK é substituído Rogério Vieira de Almeida no cargo de Tesoureiro por Luís Pereira Nunes.

2007

A 4 de Janeiro dá entrada na CMS o projecto de construção para a primeira fase do Dojo da Faúlha.

Sob os auspícios da ANKF (All Nipon Kyudo Federation) realiza-se o I Seminário Internacional da IKYF (International Kyudo Federation),em Tóquio – Japão. Roque Oliveira e Mário Chainho participam, de 10 a 12 de Abril no seminário, e nos dias 13 e 14 na primeira competição mundial de Kyudo Taikai. Este encontro, comemorativo da fundação da IKYF, reuniu no Japão mais de 400 praticantes de três continentes, América, Europa e Ásia. Os dois participantes Portugueses ganham novas graduações e Roque Oliveira é apurado no Taikai.

De 17 a 22 de Maio realiza-se em Sesimbra o V Seminário de Kyudo em Portugal, sob a direcção de Mestre Maki Kudo, Kyoshi, 7º: Dan. Participam neste Seminário 9 praticantes.

A APK participa no Festival Anual de Artes Marciais Japonesas, promovido pela Associação de Amizade Portugal-Japão.

Em Outubro é deferido pela CMS o pedido de autorização referente ao processo do DOJO nº2/2007 “Autorização de construção de uma estrutura para a prática do Kyudo”

2006

Na sequência de uma visita inesperada da Senhora Maki Kudo a Portugal, viagem de carácter pessoal, realizou-se no dia 29 de Janeiro um encontro / treino especial com a sensei em Sesimbra.

Por motivos externos à associação a APK fica privada de autorização para praticar no dojo da Quintinha.

Encontro com treino alargado e demonstração, para entrega formal do diploma de 4º dan a Rogério Vieira de Almeida, conquistado no seminário da EKF de 2005 em Haia.

A APK participa no Festival Anual de Artes Marciais Japonesas , promovido pela Associação de Amizade Portugal-Japão, realizado no Pavilhão Municipal de do Casal Vistoso em Lisboa a 27 de Maio. Realizam a demonstração Rogério Vieira de Almeida, Roque Oliveira e Carmo Ferreira.

Carmo Ferreira participa no XXV Seminário da EKF (European Kyudo Federation), com a direcção da ANKF (All Nipon Kyudo Federation), em Bourges – França.

Procedem-se a alterações das condições de prática no ginásio do IST. Novas esponjas e contraplacados possibilitam a montagem de um sajo para 5 praticantes.

Em Novembro comemorou-se o aniversário da APK com o tradicional Magusto em casa de Roque Oliveira.

2005

A Câmara Municipal e Sesimbra cede um terreno para a instalação do campo de treino, Dojo. Ao fim de inúmeras diligências e vicissitudes foi finalmente assinado o contrato de cedência de um terreno à APK para instalação da sua sede/Dojo. Com a área de 5000 m2, está situado na Cotovia, junto à ribeira da Faúlha e das escolas Básica do Castelo e Secundária de Sampaio.

Em Abril, Roque Oliveira e Ricardo Reis fazem uma demonstração de kyudo em Chão Sobral – Oliveira do Hospital, promovido pelo Clube de Caçadores da aldeia, esta demonstração integrava um programa de passeio pedestre pelas encostas da ribeira de Alvôco,

A Associação Portuguesa de Kyudo integra o grupo de federações internacionais para a instituição da Federação Internacional de Kyudo – IKYF, uma federação a nível Mundial que pretende optimizar os esforços de divulgação, normalização e prática do Kyudo.

Rogério Vieira de Almeida participa e ganha o 4º dan no XXIV Seminário da EKF (European Kyudo Federation), com a direcção da ANKF (All Nipon Kyudo Federation), em Haia, Holanda.

Em Outubro, Rogério Vieira de Almeida, David Lopes e Ricardo Reis asseguraram a participação no 9º festival das Artes Marciais promovido pela Associação de Amizade Portugal Japão.

Realizaram-se alguns trabalhos de limpeza no terreno do Dojo da Faúlha, com corte de arbustos e remoção de muito lixo doméstico.

No dia 12 de Novembro realizou-se em casa de Roque Oliveira o anual encontro do Magusto.

2004

Carmo Ferreira, 2º dan, participa num espectáculo de comemoração do 25 de Abril, integrando uma coreografia do grupo Deai Aikido, executando um de Tiro em Makiwara. Este espectáculo foi executado ao ar livre a 24 de Abril na Praça do Bocage e no dia 25 de Abril no Forum Luisa Todi.

Três membros da APK, participam num seminário da Associação Espanhola de Kyudo, em Talavera de la Reina, dirigido por Mestre Sep Overlaep (Bélgica).

Visita a Portugal em Junho de Mestre Yokokoji e Mestra Maki Kudo. Para além dos treinos habituais foi realizado um Seminário de quatro dias.

Participação de três membros no XXIII Seminário da EKF (European Kyudo Federation), com a direcção da ANKF (All Nipon Kyudo Federation), em Haia, Holanda.

Após longos anos de um esforço iniciado por Luís Paixão e posteriormente acompanhado pelos restantes membros da APK, foi decidida por parte da Câmara Municipal de Sesimbra a concessão de um terreno à APK para a construção de um Dojo de Kyudo na Cotovia.

2003

A revista Mon do CAO (Centro de Estudos Orientais) publica o seu segundo número onde se inclui uma pequena resenha histórica do Kyudo em Portugal, elaborada pela redacção da revista a partir de alguns depoimentos de Luís Paixão e Roque Oliveira.

A APK participa (12-5-2003) numa demonstração de Artes Marciais na Faculdade de Motricidade Humana, a convite da Professora Manuel Hasse.

Participação de três membros no XXII Seminário da EKF (European Kyudo Federation), com a direcção da ANKF (All Nipon Kyudo Federation), em Martigny – Suíça.

A APK participa no Festival Anual de Artes Marciais Japonesas, promovido pela Associação de Amizade Portugal-Japão, realizado no Pavilhão Municipal de Almada.

Realização (16-11-2003) de uma reunião de assembleia-geral de sócios para eleição dos corpos sociais e discussão de vários pontos relativos ao futuro da APK. Mantêm-se os mesmos corpos sociais.

2002

Em Janeiro realiza-se o 3º Seminário de Kyudo em Portugal, sob a direcção de Mestre Maki Kudo, Kyoshi, 7º: Dan, esposa de Mestre Kudo, com a assistência de Mestre Yokokoji. Participam neste Seminário 11 praticantes.

Mestre Yokokoji retorna definitivamente ao Japão.

Participação de três membros no XXI Seminário da EKF (European Kyudo Federation), sob os auspícios da ANKF (All Nipon Kyudo Federation), em Louvain-la-Neuf – Bélgica. Dois membros obtêm o grau de 3º Dan (Sandan).

A APK participa no Festival Anual de Artes Marciais Japonesas, promovido pela Associação de Amizade Portugal-Japão, realizado no Pavilhão Municipal de Almada.

Em Faro inicia-se um núcleo de Kyudo com dois praticantes, impulsionado por António Piano, que tendo praticado Kyudo entre 1997 e 2002 com o grupo de Sesimbra, esta a residir em 2002 em Faro.

A revista Mon do CAO (Centro de Estudos Orientais ligado ao grupo de Shotokai/José Patrão) publica o seu primeiro número, com um artigo de Kyudo da autoria de Luís Paixão e Roque Oliveira.

É realizado um espectáculo-demonstração.

2001

Mestre Yokokoji obtém no Japão, em Janeiro, o título de Renshi.

A Escola Portuguesa de Kyudo constitui-se como associação legal, através de escritura pública, e altera a sua designação para Associação Portuguesa de Kyudo.

Participação de oito membros no XX Seminário da EKF (European Kyudo Federation), sob os auspícios da ANKF (All Nipon Kyudo Federation), em Paris – França. Seis membros obtêm o grau de 2º Dan (Nidan) e dois membros o grau de 1º Dan (Shodan).

A APK, participa no Festival Anual de Artes Marciais Japonesas, promovido pela Associação de Amizade Portugal-Japão, realizado no Pavilhão Municipal do Areeiro, Lisboa.

Realização de uma assembleia-geral de sócios, para eleição dos corpos sociais da APK. Sendo esta segunda Direcção constituída por: Presidente Roque Oliveira, Tesoureiro Rogério Almeida, Secretário António Pereira.

2000

Participação de sete membros e de Mestre Yokokoji, no XIX Seminário Europeu de Kyudo da EKF (European Kyudo Federation), sob os auspícios da ANKF (All Nipon Kyudo Federation), em Berlim – Alemanha. Os sete membros obtêm o grau de 1º Dan (Shodan).

A Escola Portuguesa de Kyudo é reconhecida como membro da EKF.

A EPK participa no Festival Anual de Artes Marciais Japonesas, promovido pela Associação de Amizade Portugal-Japão, em Lisboa.

Adesão de 2 novos membros.

A EPK conta então com 13 membros.

1999

Adesão de 2 novos membros.

A Escola Portuguesa de Kyudo, participa no Festival Anual de Artes Marciais Japonesas, promovido pela Associação de Amizade Portugal-Japão.

Em Novembro realiza-se o 2º Seminário de Kyudo em Portugal, sob a direcção de Mestre Maki Kudo, Kyoshi, 7º Dan, esposa de Mestre Kudo, com a assistência de Mestre Yokokoji. Participam neste Seminário 13 praticantes.

1998

Adesão de 4 novos membros.

A Escola Portuguesa de Kyudo, participa no Festival Anual de Artes Marciais Japonesas, promovido pela Associação de Amizade Portugal-Japão.

1997

A Escola Portuguesa de Kyudo, participa no 1º Festival Anual de Artes Marciais Japonesas, em Lisboa, promovido pela Associação de Amizade Portugal-Japão.

1996

Morte no Japão de Mestre Zenko Kudo, professor de Mestre Yokokoji, e um dos mais considerados praticantes de Kyudo da Escola Ogasawara. A Escola Portuguesa de Kyudo realiza no Dojo da Quintinha, um treino / cerimónia de homenagem ao Mestre Kudo, com uma pequena fotografia de Mestre Kudo colocada na árvore a sudeste; partes do treino foram filmadas por Mestre Yokokoji.

1995

Em Setembro realiza-se o 1: Seminário de Kyudo em Portugal, sob a direcção de Mestre Zenko Kudo, Kyoshi, 7º Dan, com a assistência de Mestre Yokokoji. Participam neste Seminário 8 praticantes.

No final de 1995 o grupo alarga-se para 12 membros.

1993 – 1994

O grupo cresce passando a contar com sete membros praticantes.

1993

Construção do primeiro Dojo no lugar da Quintinha, Cotovia, Sesimbra, por iniciativa de Luís Paixão, Roque Oliveira e João Santos.

Início da prática do Kyudo por parte de Luís Paixão e Roque Oliveira e João Santos, sob a orientação de Mestre Yokokoji.

Fundação do grupo que daria origem à Escola Portuguesa de Kyudo (posteriormente Associação Portuguesa de Kyudo).

1992

Luís Paixão e Roque Oliveira estabelecem em Sesimbra os primeiros contactos com Mestre Shirotsugu Yokokoji, 5º Dan, na sequência de uma entrevista ao Mestre Yokokoji publicada num periódico português.